terça-feira, 1 de março de 2011

A essência de nós, bêbados

Talvez nosso propósito seja conseguir levantar no outro dia sabendo onde estamos, talvez a gente passe o dia inteiro suplicando por um copo de cerveja, talvez a vida não seja só isso, e por outro lado o limite da satisfação chega mais fácil. Ou até mesmo pode ser que sejamos tão inocentes quanto vocês - meros apreciadores de sucos e água com gás - já que certas alegrias alcoólicas são tão comparáveis quanto as tuas; onde entre o último gole do resto quente e o primeiro copo da gelada pode ser considerado tão feliz quanto tirar 10 na última prova de álgebra do ano. Onde acordar, ver seus amigos espalhados pela sala e poder dar risada de todas as merdas da noite anterior é tão incrível quanto fazer churrasco com o avô num domingo de Natal. Onde uma rodada de tequila é tão comemorada quanto o segundo gol do Ronaldo na Copa de 2002.

Mas é que pode ser de Heinekein até Conti, Blue Label até Grant's, Absolut até Natasha, Jose Cuervo até Velho Barreiro, Absinto até Rum, Caipiroska até Caipicerva... o negócio é que, em quem não bebe, eu não confio.

3 comentários:

Maurício disse...

piá, minha verificação de palavras apareceu 'hades'

e é bem dessas, 'não confio em quem não bebe'.

Caetano :) disse...

Muito foda! HAUSHSAU

Tay. disse...

Mas tu pode confiar em mim.